Qual importância do sono para o ciclo menstrual?
15 de julho de 2021
Comunicação clara entre médico e paciente
5 de agosto de 2021

Situações especiais para uso de hormônios contraceptivos

Esse texto é pra reforçar o quanto devemos olhar para todos aspectos as escolhas de contracepção, em especial quando a escolha for Contracepção Hormonal (pílulas, anel vaginal, adesivo, injeção, implante, DIU hormonal).

A paciente deve ter liberdade de escolha sobre seu método considerando que:

1. não haja contra indicação ao uso do hormônio
2. a paciente entenda os prós e contras, tendo sido apresentadas todas as opções

Existem contra indicações absolutas aos contraceptivos hormonais, contraindicações relativas e existem opções pouco adequadas a cada mulher.

Ou seja, a paciente pode ter mais malefícios do que benefícios com algumas combinações de substâncias hormonais a depender da condição (Ex. piora de enxaquecas, piora de acne, piora de libido, perda de efeito contraceptivo, risco de trombose aumentado, piora da TPM, piora da sensação de inchaço, etc etc).

Vamos a alguns exemplos de situações não tão óbvias mas que precisam ser consideradas na escolha do hormônio e da via de administração, até mesmo para garantir efeito contraceptivo:

  • Cirurgia bariátrica/ Doenças inflamatórias intestinais / Diarreias crônicas: nenhum anticoncepcional via oral será absorvido de maneira adequada.
  • Intolerância a lactose: muitas pílulas contém lactose na composição.
  • Tabagismo, enxaquecas, colesterol alto, triglicerides alto: apenas alguns hormônios são mais seguros.
  • Em caso de obesidade: a dose da pílula pode não ser eficaz a depender do IMC, o implante pode durar menos tempo (ex. 2 anos ao invés de 3 anos).
  • TPM exacerbada: alguns hormônios podem ser menos adequados que outros.
  • Uso de alguns medicamentos (ex. antibioticos, topiramato) podem atrapalhar absorção/ação da pílula.
Open chat
Agende aqui sua consulta